Destaques

Morre o escritor e jornalista Artur Xexéo


Famosos prestam homenagens a Artur Xexéo - Reprodução/TV Globo


Um humor refinado, textos e comentários de estilo único, uma referência de conhecimento da cultura nacional. Jornalista, escritor, comentarista e crítico de teatro, Artur Xexéo morreu neste domingo, dia 27, no Rio de Janeiro, aos 69 anos, em decorrência de complicações causadas por um câncer. Colunista de O Globo e comentarista da GloboNews, onde tinha participação fixa no programa 'Estúdio I', desde 2015 participava das transmissões do Oscar na TV Globo.
Nascido no Rio de Janeiro em 1951, Artur Xexéo chegou a cursar Engenharia, mas trocou os números pelas letras do curso de Comunicação Social. Começou a carreira no Jornal do Brasil e passou pelas redações dos maiores jornais da capital fluminense, pela revista Veja e pela rádio CBN. Foi um dos maiores especialistas na análise e na crítica da cultura nacional. "A vida cultural brasileira precisa ser refletida", disse em entrevista ao Memória Globo.
Na TV Globo, integrou as equipes dos seriados 'Pé na Cova', 'Sexo e as Negas’ e 'Brasil a Bordo'. É autor dos livros 'Janete Clair – A usineira dos Sonhos', uma biografia da novelista, e 'O Torcedor Acidental', coleção de crônicas sobre os bastidores de suas coberturas de Copas do Mundo.
Escreveu os musicais “A Garota do Biquíni Vermelho” (2010), dirigido por Marília Pêra, sobre a vida da atriz Sônia Mamede; e “Nós Sempre Teremos Paris” (2012), dirigido por Jaqueline Laurance e estrelado por Françoise Forton. Em 2016, homenageou um dos maiores ícones do samba com o musical “Cartola – O Mundo é um Moinho”. Sua última obra no teatro foi a adaptação do espetáculo americano “A Cor Púrpura”, em 2019.

Nenhum comentário

Deixe seu comentário

google.com, pub-9520917601195140, DIRECT, f08c47fec0942fa0