Destaques

Diretor da Jovem Pan afirma que não há risco que concessão de TV da Abril seja cassada, JP deve ocupar vaga que já foi da MTV


Antônio Augusto Amaral de Carvalho Filho, o Tutinha (Crédito: Divulgação/Grupo Jovem Pan)


Apesar de decisão desfavorável no âmbito do Poder Judiciário, a concessão do canal 32.1 da Grande São Paulo não corre o risco de ser cassada. Ao menos é o que afirma um dos diretores da Jovem Pan, empresa de mídia interessada em assumir o espaço para, assim, levar adiante o projeto de televisão. Na visão de Paulo Machado de Carvalho Neto, a versão sobre o cancelamento do espectro não passa de “bobagem”. O canal, que nos últimos tempos vem exibindo a programação do Loading, segue no ar, uma vez que o Grupo Abril entrou com recurso e travou o processo.

Em publicação em seu perfil no Facebook, Paulito, apelido pelo qual o diretor de rede e expansão do Grupo Jovem Pan é conhecido, atentou-se a explicar que a análise a respeito de concessão de TV cabe a órgãos do Executivo. “O Poder Judiciário, qualquer que seja a decisão, não tem poderes para cassar ou encerrar o funcionamento de uma emissora de rádio ou TV, sendo atribuição do Ministério das Comunicações decidir sobre   cassar ou não a concessão da emissora. 

Nos bastidores da comunicação há a informação de que a Jovem Pan se prepara para assumir a concessão do canal 32.1, espectro que por anos abrigou a MTV (sob gestão do Grupo Abril). Sediada na Avenida Paulista, na cidade de São Paulo, a JP tem investido em estúdios para a futura programação televisiva — tanto que atrações oriundas do rádio voltaram a antigos estúdios enquanto reformas e ajustes são feitos em cenários.

O conglomerado já estaria em negociações avançadas para constar em planos oferecidos por Claro TV, Vivo e Sky.

Nenhum comentário

Deixe seu comentário