Destaques

Clubes europeus anunciam criação da Super League e afirmam que vão gerar € 10 bilhões


Doze dos principais clubes do Velho Continente se uniram na criação da Superliga Europeia (Foto: Reprodução)

Doze dos principais clubes de futebol da Europa acabam de anunciar a criação de uma nova competição. O que brilha os olhos dos envolvidos é a quantia que ela deve gerar: € 10 bilhões. A Super League, como foi batizada por eles, terá a participação de Atlético de Madrid, Barcelona e Real Madrid; dos italianos Internazionale de Milão, Juventus e Milan; e os ingleses Arsenal, Chelsea, Liverpool, Manchester City, Manchester United e Tottenham. Todos entrariam como fundadores. Times como Bayern, Borussia Dortmund e Paris Saint-Germain recusaram participar.

No comunicado divulgado em conjunto neste domingo (18), eles afirmaram que preveem ainda que mais três clubes se juntem antes da temporada inaugural. A ideia dos 12 fundadores é, assim que possível, criar também a Super League feminina.

Os fundadores justificam a criação da liga dizendo que “a pandemia global acelerou a instabilidade no modelo econômico do futebol europeu existente”. Segundo eles, “durante vários anos, os clubes fundadores tiveram o objetivo de melhorar a qualidade e a intensidade das competições europeias existentes ao longo de cada temporada e de criar um formato para os melhores clubes e jogadores competirem regularmente”.

Apesar de toda a movimentação, LaLiga, Premier League e Serie A já se colocaram oficialmente contra o projeto, ameaçando fortes represálias aos clubes que disputarem o torneio.

O anúncio da Super League ocorre na véspera da reunião do Comitê Executivo da UEFA, na cidade suíça de Montreux, para aprovar uma profunda reforma da Liga dos Campeões, com a qual pretende eliminar a possibilidade de surgimento do novo torneio. Já a Associação Europeia de Clubes (ECA, pela sigla em inglês), da qual fazem parte grandes times do futebol europeu, declarou também ser “fortemente contra um modelo fechado da Superliga”.

“A ECA, como organismo representativo de 246 clubes de primeira linha em toda a Europa, reafirma o seu empenho em trabalhar no desenvolvimento do modelo de competição de clubes da Uefa, com a Uefa, para o ciclo que começa em 2024”, divulgou a entidade através do Twitter.

Nenhum comentário

Deixe seu comentário