Destaques

Animal Planet exibe o especial Sobrevivendo ao Tiger King


Especial traz entrevista com Joe Exotic e acompanha paradeiro de animais resgatados do G.W. Zoo


A história de Joe Exotic e do G.W. Zoo deixou o mundo estarrecido com a disputa por poder e dinheiro que fez de tigres e de outros animais selvagens suas maiores vítimas. Neste sábado, 5 de setembro, às 20h30, o Animal Planet vai além do já conhecido sobre as práticas de Joe com relatos e imagens exclusivas compiladas no documentário Sobrevivendo ao Tiger King (Surviving Joe Exotic).

Com uma hora de duração, o especial apresenta uma das últimas entrevistas de Joseph Allen Schreibvogel, verdadeiro nome do homem que assume a alcunha de Joe Exotic e o título de Tiger King (“Rei dos Tigres”), gravada pelo Animal Planet pouco antes de sua prisão.  Além disso, a produção narra como foram o resgate e a reabilitação de alguns dos animais que viviam no zoológico de Joe e traz depoimentos de ex-funcionários do local.

Entre as fontes estão Saff Saffery e Gaylynn Eastwood. Saff trabalhou para Joe por 11 anos, entre 2009 e 2018, e em 2013 perdeu um braço no exercício de suas funções, quando foi atacado por um tigre. Gaylynn Eastwood foi funcionária do zoológico em dois momentos – em 1999 e 2014 – e revela a mudança drástica na postura de Joe ao longo dos anos.  Falam também às câmeras líderes das operações de resgate dos animais, jornalistas e especialistas que discutem as causas e consequências do tráfico e criação clandestina de animais selvagens.  

O documentário começa com a entrevista de Joe Exotic gravada em maio de 2018. Pouco depois, em 2019, ele seria condenado por 17 infrações à lei norte-americana de proteção da vida selvagem – entre elas as mortes de cinco tigres cujos corpos foram enterrados na propriedade ocupada pelo G.W. Zoo.

As grandes atrações eram os tigres e grandes felinos, mas também viviam em cativeiros improvisados diversas outras espécies de animais selvagens, como ursos, símios, lobos e até um dromedário. Condições precárias, recintos minúsculos, alimentação inadequada e maus tratos eram algumas das violações flagrantes, mas não as únicas. A reprodução em cativeiro, incluindo cruzamentos que resultaram em animais com anomalias, era tratada como um negócio, sem qualquer preocupação com o bem-estar dos animais, tampouco com destino dos filhotes. “Fortuna e fama, essas eram as duas únicas preocupações de Joe Exotic”, revela Saff.

O Animal Planet acompanha o paradeiro de alguns dos muitos animais que nasceram no G.W. Zoo – foram centenas deles – e que vingaram a despeito da crueldade e da negligência com as quais foram tratados. Assim, a produção revela novos desdobramentos da rede de procriação e comercialização clandestinas de animais selvagens.

Nenhum comentário

Deixe seu comentário