Destaques

Nova série Entre Mãe e Filha estreia no TLC

Exemplos de cooperação ou de dependência exagerada, filhas já adultas e suas respectivas mães cultivam vínculos estreitos


As participantes da nova série do TLC levam o dito popular “tal mãe, tal filha” ao pé da letra. Inseparáveis, essas quatro duplas formadas por mães e suas respectivas filhas têm algo em comum: concordam em tudo, têm os mesmos gostos, agem como irmãs e melhores amigas – o que nem sempre é bom e pode trazer confusão de papeis e alguns inconvenientes.
 
A partir de quinta-feira, 7 de maio, às 22h10, o TLC acompanha a rotina dessas oito mulheres em ENTRE MÃE E FILHA, série em oito episódios com duração de uma hora cada. As câmeras seguem as duplas em suas casas e nas atividades cotidianas, documentando as dores e delícias de um vínculo tão estreito que atravessou os anos e sobreviveu até mesmo aos casamentos das filhas, separações, mudança de cidade e à chegada de netos.
 
Com as lembranças de uma vida compartilhada, juras de amor eterno e as promessas de união inabalável vêm expectativas altíssimas de ambos os lados, que nem sempre são correspondidas. Em torno dessa frágil estabilidade das relações apaixonadas entre mães e filhas estão maridos, namorados e amigos que tentam achar um espaço, por mínimo que seja, para si. Entre conflitos e intromissões, beijos e gritos, brigas e demonstrações de carinho, elas estão certas de que certas coisas – quase todas elas – devem permanecer ENTRE MÃE E FILHA.
 
Dawn e Cher poderiam ser confundidas facilmente com irmãs – e gêmeas! As duas não só se parecem fisicamente, como agem e até falam do mesmo jeito. As semelhanças se estendem à escolha dos maridos:  as duas se casaram com médicos aos 23 anos. No entanto, o vínculo entre elas é ameaçado quando a filha guarda um segredo importante e duvida se deve contá-lo à mãe.
 
Sunhe e Angelica não se desgrudam. Quando não estão trabalhando, fazem tudo juntas, dividem a cama e até a água da banheira! Sunhe é enfática: “Se eu encontrasse um homem que fosse parecido com Angelica, me casaria com ele na hora!”. Mas a rotina está prestes a mudar drasticamente, já que Angelica quer constituir sua própria família depois de dois anos de namoro.
 
Sandra e Mariah são melhores amigas que fazem tudo juntas, de baladas a encontros românticos com seus respectivos pares. Até intervenções estéticas e cirurgias plásticas elas fazem juntas. Mariah incentiva a mãe a acompanha-la em sua rotina de festas, diz que Sandra merece se divertir como se tivesse vinte anos também. Por vezes, Sandra embarca de tal forma na proposta da filha que esquece completamente quais são seus limites.
 
Kathy é uma presença constante na vida de Cristina e muitas vezes atua como uma “co-mãe” dos netos; no entanto, o marido e os sogros de Cristina sentem que Kathy ultrapassou a fronteira entre os papeis de avó devotada e intrusa da privacidade alheia. Começa assim uma disputa em família.

Um comentário:

Deixe seu comentário